Diabetes Em Gatos: Causas, Sintomas E Prevenção

Como o homem e o cão, o gato também pode sofrer de diabetes chamado diabetes mellitus do gato e corresponder a um aumento no nível de glicose no sangue.

Os animais mais afetados são machos castrados com mais de 6 anos e com sobrepeso. Aqui está o que você precisa saber sobre as causas desta doença, seus sinais clínicos e as possibilidades de tratamento e prevenção.

Diabetes em gatos: causas, sintomas e prevenção

Qual é o diabetes mellitus do gato?

Diabetes mellitus em gatos é causado por muita glicose no sangue, devido à falta de insulina ou uma má regulação deste hormônio no metabolismo. Quando o gato está alimentando, os carboidratos absorvidos devem ser convertidos em glicose pelo seu corpo, a fim de passar para o sangue e, assim, fornecer energia para as células do corpo. A passagem de açúcares para o metabolismo é através da parede intestinal e sua assimilação é possibilitada pela ação da insulina, hormônio produzido pelo pâncreas.

No caso do diabetes, a insulina está ausente porque o pâncreas do gato doente não produz o suficiente, ou porque as células do corpo respondem mal a ele: então falamos de hormônio ou doença endócrina. Se o pâncreas não produz mais insulina, o açúcar no sangue não pode penetrar nas células e causar um acúmulo de glicose (hiperglicemia) que envenena o corpo.

Sintomas de diabetes mellitus em gatos

As consequências metabólicas do diabetes são uma incapacidade das células de absorver glicose, um nutriente essencial para o bom funcionamento do corpo, uma vez que fornece energia. Como resultado, um nível excessivamente alto de glicose é observado, o que somente um exame de sangue pode confirmar. Este diagnóstico deve ser feito pelo veterinário, que poderá lhe oferecer soluções para o manejo da doença. Muitos dos sintomas típicos do diabetes precisam colocar a pulga no ouvido e levar a considerar esta faixa, especialmente em um animal idoso.

Primeiro, o gato com diabetes mellitus tem sede excessiva e micção, então ele pode começar a fazer xixi em qualquer lugar da casa sem motivo aparente. Esta micção anormal causando desidratação, pode procurar beber em lugares improváveis, como a pia, banho, vaso sanitário, vasos de flores... Há também uma subida ou descida no apetite, o segundo caso é o mais frequente, acompanhada de perda de peso, mesmo que o apetite do gato aumente. Finalmente, há fadiga, uma queda na forma e uma deterioração da saúde geral que é particularmente perceptível ao embotamento do pêlo.

Medidas preventivas contra diabetes do gato

Todos os gatos de todas as idades e sexos são susceptíveis de ter diabetes, embora a doença afeta homens com mais de 6 anos de idade. Algumas precauções podem, no entanto, ajudar a limitar a sua aparência, começando com um estilo de vida saudável e uma dieta adequada: é essencial respeitar as rações recomendadas para o nível de actividade e a idade do gato e para garantir que é gasto fisicamente.

De fato, o excesso de peso é um fator que pode promover o diabetes porque limita a ação reguladora da insulina no sangue. O gato deve ter acesso permanente a água fresca, freqüentemente renovada, e todo alimento humano deve ser banido por causa da ingestão excessiva de açúcares, gorduras e aditivos.

Qual o tratamento para diabetes em gatos?

Diabetes mellitus é uma doença grave que precisa ser tratada com medicamentos e injeções de insulina. Uma vez diagnosticada a doença, o veterinário proporá um tratamento adaptado de acordo com o seu grau de gravidade e o modo de vida do animal. Se o gato está acima do peso, será necessário fazê-lo perder peso.

A dieta desempenha um papel importante no controle do diabetes, por isso uma dieta especial será proposta. Deve promover a digestão lenta graças a uma contribuição de açúcares lentos (macarrão, arroz), fibra vegetal (vegetais verdes) e carne magra (peixe, aves de capoeira). Marcas veterinárias oferecem produtos industriais adaptados à dieta do gato diabético.

Compartilhe Com Seus Amigos