Como Punir O Seu C√£o De Forma Inteligente?

Embora seja melhor usar métodos gentis e indutivos, como reforço positivo e dessensibilização, a punição às vezes é um mal necessário na educação canina.

Tenha cuidado, no entanto, para não abusar dela, nem para fazer reprimendas injustas que não só seriam mal interpretadas pelo cão, mas também o risco de traumatizá-lo. Aqui estão as regras de ouro para punir seu companheiro de uma maneira inteligente e eficaz, sem esquecer de tentar entendê-lo.

Como punir o seu c√£o de forma inteligente?

Entenda as implica√ß√Ķes da puni√ß√£o

Na concepção comum, aceita-se que a punição deve ser dada após uma estupidez cometida pelo cão. Agora, a estupidez é uma noção puramente humana que um animal não é capaz de apreender: se rasgou uma almofada, derramou o lixo ou saiu em casa, um cão não vai entender que ele tem feito mal e normalmente há uma explicação para esses atos, mesmo que o mestre não o considere inevitavelmente no momento em que ele percebe o dano.

Assim, podemos pensar que o cão fez essas coisas tolas por prazer, por vingança, por desconfiança, mas não é assim. Na verdade, o comportamento destrutivo está frequentemente relacionado ao tédio ou ao que se chama de ansiedade de separação, quando o cão não consegue ficar sozinho.

Punir seu cachorro sem tentar entender as raz√Ķes de sua atitude √©, portanto, nada trivial, e a repreens√£o s√≥ ser√° eficaz se for dada no momento, sen√£o ele poder√° sentir um sentimento de injusti√ßa. porque ele n√£o far√° a liga√ß√£o entre suas a√ß√Ķes e a puni√ß√£o infligida. No entanto, se ele quebrar as regras √† sua frente (fique na cama quando o tiver proibido, voe √† mesa...), ent√£o √© perfeitamente leg√≠timo faz√™-lo entender que ele excedeu esses limites.

As regras de ouro da punição justa e inteligente

A punição está no momento

A primeira regra a respeitar √© baseada em um princ√≠pio simples e indiscut√≠vel: o c√£o deve ser punido no momento presente, isto √©, se e somente se voc√™ o pegar no ato! Em face de comportamento indesejado por parte de seu c√£o, devemos primeiro procurar analisar as raz√Ķes tentando adotar seu ponto de vista.

Muitas vezes, ele procura, acima de tudo, chamar sua aten√ß√£o quando voc√™ cuida do seu neg√≥cio: neste caso, √© melhor ignor√°-lo para n√£o dar a ele o que ele espera, caso contr√°rio arriscamos entrar em um neg√≥cio. c√≠rculo vicioso onde ele ir√° replicar essas a√ß√Ķes para recuper√°-lo. No entanto, n√£o ser afetado pelo comportamento indesejado de um c√£o tamb√©m n√£o √© uma solu√ß√£o, por isso √© aconselh√°vel usar o m√©todo "N√£o!".

Ensine o "N√£o" ao seu c√£o

O "N√£o!" Ordem (ou qualquer outra palavra que voc√™ escolher que voc√™ n√£o vai mudar: "Pare!", "Pare!") √Č um c√≥digo que voc√™ deve usar de forma consistente, e em um tom firme, mas neutro. Imediatamente depois, tente direcionar a aten√ß√£o do seu c√£o para outra coisa: soltar algo, bater palmas...

Uma vez que a distração tenha ocorrido, retorne às suas atividades como se nada tivesse acontecido e deixe passar um momento enquanto o observava com o canto do olho. Se ele for sábio, recompense seu bom comportamento depois de vários minutos. Se ele começar de novo, repita o "não", mantendo a calma. Pouco a pouco, o mau comportamento deve ser mais raro porque o cão entenderá que não deriva mais do que essa breve interação. Tenha cuidado, no entanto, em não recompensar muito cedo, caso contrário, será uma marca de atenção de sua parte: espere pelo menos 10 a 15 minutos de bom comportamento antes de parabenizar, sem exageros.

Concentre-se no reforço positivo

Recompensar boas atitudes é tão crucial quanto repreender no treinamento de cães, se não mais, porque o reforço positivo tem resultados muito melhores do que qualquer forma de punição. De fato, o cão vê a consequência direta e positiva de seu bom comportamento: ele se sente assim mais valorizado e conhece o sentimento de agradar seu mestre, executando o que se espera dele.

Seja constante em ordens e proibi√ß√Ķes

Se voc√™ n√£o mostrar coerente e regular nos pedidos usados ‚Äč‚Äčpara o endere√ßo do seu c√£o, este n√£o ser√° capaz de entender o que voc√™ espera: por exemplo, se voc√™ mudar a palavra para pedir a mesma a√ß√£o, ou se voc√™ permitir que um dia entre no sof√° e o outro n√£o, ser√° totalmente perturbado e poder√° reproduzir repetidas vezes o mesmo absurdo.

Como uma crian√ßa, um c√£o precisa de refer√™ncias constantes e uma estrutura educacional claro para distinguir entre o "bom" e "mau" comportamento. Sem ele, voc√™ n√£o ser√° na legitimidade de punir o seu c√£o quando ele faz algo que j√° foi o autorizou no passado, quer por si pr√≥prio ou por um membro da fam√≠lia. Por isso, √© importante discutir com a fam√≠lia de antem√£o, e chegar a acordo sobre autoriza√ß√Ķes e proibi√ß√Ķes que voc√™ d√° a ele.

Punir seu c√£o: erros para n√£o cometer

Supondo-se que a noção de estupidez não existe em cães, qualquer reação deve ser evitada uma vez que não seria compreendido, e poderia além disso assustar o cão além do necessário. Seja qual for o nível de gravidade como você pensa a uma ação indesejável por parte do seu cão, ele faz "mérito" em caso algum conduzir a uma punição física ou até mesmo gritando.

Os gestos violentos, sopra com o pé ou a mão, gritando, batendo com um objeto ou outro abuso pode machucar e traumatizar o animal deve ser completamente eliminada. Este tipo de punição é de até tornar tímido ou agressivo, mas acima de tudo para quebrar o sentimento de confiança que ele sente por você.

Finalmente, note que as puni√ß√Ķes mais curtos s√£o os melhores: o c√£o n√£o tem o mesmo conceito de tempo como o nosso, estender a dura√ß√£o da puni√ß√£o n√£o vai torn√°-lo mais eficiente! Al√©m disso, travar ou morrer de fome ou aten√ß√£o por horas (muito menos v√°rios dias) n√£o ter√° mais impacto do que xingar no momento da "ofensa" e ignor√°-lo por trinta minutos.

Compartilhe Com Seus Amigos