Meu Cachorro N√£o Quer Ficar Sozinho: O Que Fazer?

Alguns c√£es sofrem de estresse e ansiedade quando est√£o sozinhos em casa, um dist√ļrbio devido ao hiper-apego que sentem por seu (s) professor (es). Neste caso, a s√≠ndrome da ansiedade de separa√ß√£o pode manifestar-se por comportamento destrutivo irritante, ladrar ou gritar, sujeira...

Punir o animal n√£o √©, de maneira alguma, uma solu√ß√£o para esse problema, pois isso apenas refor√ßaria o mal-estar de algu√©m; √Č por isso que √© importante primeiro entender a origem desse dist√ļrbio antes de iniciar uma reabilita√ß√£o progressiva √† solid√£o.

Meu cachorro n√£o quer ficar sozinho: o que fazer?

De onde vem a ansiedade de separação?

Um c√£o que sofre de ansiedade de separa√ß√£o √© "doentio" ligado ao seu dono, √© um sintoma de depend√™ncia pesada. Se nos depararmos com este dist√ļrbio mais frequentemente em c√£es que foram abandonados no passado pelos seus mestres, ou filhotes que foram separados muito cedo de suas m√£es, qualquer animal pode desenvolver esta s√≠ndrome se n√£o tiver n√£o foi usado adequadamente para ficar sozinho.

Ansiedade de separa√ß√£o tamb√©m pode ocorrer ap√≥s um movimento, ou se voc√™ retornar ao trabalho ap√≥s um longo per√≠odo de licen√ßa ou desemprego. √Č por isso que aprender a solid√£o √© um elemento-chave na educa√ß√£o do jovem c√£o. Em caso de trauma (abandono, aus√™ncias s√ļbitas e prolongadas, morte...) teremos que considerar uma reeduca√ß√£o paciente e progressiva, e nunca punir o c√£o no seu retorno, mesmo que o dano seja importante: tenha em mente que este comportamento √© antes toda a manifesta√ß√£o do sofrimento.

Aprenda a solid√£o com o filhote

Diariamente, esse dist√ļrbio comportamental pode se tornar muito dif√≠cil de administrar especialmente quando voc√™ tem que confiar seu animal, mas tamb√©m porque pode ser um inc√īmodo para o seu bairro se ele come√ßar a gritar assim que voc√™ sair do seu apartamento. De fato, alguns s√£o capazes de gemer e latir por horas, mesmo que voc√™ n√£o perceba, porque se acalma quando voc√™ se aproxima.

Para evitar que o filhote entre em p√Ęnico na sua aus√™ncia, o aprendizado √© absolutamente necess√°rio, mesmo que voc√™ n√£o perceba o interesse imediato. De fato, voc√™ pode pensar que ser√° cedo o bastante para o jovem c√£o aprender a ficar sozinho no dia em que voc√™ tiver que ir embora, mas essa educa√ß√£o deve ser feita antes e sem problemas. Comece simulando passeios, deixando a sua casa cinco minutos, depois dez, depois trinta...

Quando você chegar em casa, não mostre um entusiasmo irresistível por ele e espere alguns minutos antes de cumprimentá-lo sem derramar. O objetivo é que o filhote integre suas ausências como algo normal, por isso é importante não ritualizar sua partida ou seu retorno. Também é crucial ensinar o desapego, mesmo em sua presença, não respondendo a todas as suas exigências e, às vezes, ignorando-o quando é muito invasivo.

Devolva-o a sua cesta e dê-lhe algo para cuidar: brinquedos, um osso para roer, uma bola cheia de buracos cheia de doces... Se ele cometeu erros em sua ausência, limpe-os da vista e ignore - várias horas. De fato, qualquer reação não-neutra poderia provar que ele estava certo porque ele teria conseguido chamar sua atenção.

Reeducar seu c√£o para ficar sozinho

Quanto ao filhote, √© uma quest√£o com o c√£o adulto banalizar suas aus√™ncias por ser o mais neutro poss√≠vel em sua partida e seu retorno: novamente, o fato de estar zangado ou parabenizando-o implicitamente provaria a ele que sua comportamentos lhe trouxeram a aten√ß√£o que ele precisava. Para um c√£o muito ansioso que mostra sinais de p√Ęnico assim que sente uma partida "no ar", a dessensibiliza√ß√£o √© o melhor caminho a percorrer. Para fazer isso, simule falsos come√ßos, pegue suas chaves, calce seus sapatos, cubra e ande pelo apartamento por alguns minutos.

Fa√ßa algum barulho com as teclas e coloque-as em outro lugar, para quebrar o esquema mental inscrito na mente do seu c√£o (chaves = partida = p√Ęnico). Aja desanexada e ignore o seu c√£o se ele come√ßar a gemer ou pular em voc√™. Pouco a pouco, ele deve parar de associar todos esses sinais √† sua partida e reagir cada vez menos. √Č s√≥ depois desse progresso que voc√™ pode parabeniz√°-lo de uma maneira neutra ("bom cachorro, √© bom").

Tenha cuidado, saiba que essa reeduca√ß√£o exige rigor, porque o menor passo em falso dando muita aten√ß√£o ao c√£o apenas refor√ßar√° sua ang√ļstia ao v√™-lo partir. Em caso de grande dificuldade, n√£o hesite em recorrer ao seu veterin√°rio para uma medica√ß√£o contra o estresse, ou para um educador canino. Nos casos mais graves, a ajuda desses profissionais pode ser inestim√°vel na supera√ß√£o da ansiedade de separa√ß√£o, que √© uma verdadeira neurose para o animal. Outra solu√ß√£o frequentemente eficaz contra este dist√ļrbio √© cansar o seu c√£o com mais atividade f√≠sica (caminhadas longas e mais numerosas, esporte canino...) porque a falta de atividade √© outro fator importante nesse tipo de problema.

Sess√Ķes de obedi√™ncia tamb√©m podem ser √ļteis no desenvolvimento de um relacionamento mais saud√°vel e mais medido com o c√£o, ajudando-o a se afastar de voc√™ com exerc√≠cios como "n√£o se mexer" enquanto voc√™ se afasta. Por outro lado, certifique-se de que seu c√£o n√£o fique entediado em casa fornecendo brinquedos e mastigando ossos. Voc√™ tamb√©m pode "usar" suas aus√™ncias de forma positiva, dando-lhe seu brinquedo favorito nesses momentos, e usar um difusor de ferom√īnio calmante para ajud√°-lo a superar a solid√£o.

O uso de flores de Bach ou homeopatia tamb√©m pode ter bons resultados contra a ansiedade. Se o problema persistir apesar do tempo e do esfor√ßo, aconselha-se a ajuda de um behaviorista para identificar outras causas poss√≠veis e implementar solu√ß√Ķes abrangentes.

Vídeo: Meu cachorro não fica sozinho: O que fazer? (Hoje).

Compartilhe Com Seus Amigos