Phylloxera, Uma Praga Da Videira

filoxera (Daktulosphaira vitifoliae)

Phylloxera, todo mundo já ouviu falar sobre os estragos que causou em vinhas na França e em toda a Europa desde o início da década de 1860. No entanto, poucas pessoas sabem que este flagelo que tem derrubada na videira é devido a um inseto que deu o nome ao dano: filoxera (Daktulosphaira vitifoliae).

Filoxera: carteira de identidade

A filoxera √© um inseto que morde e chupa, parecendo um pulg√£o. √Č muito pequeno: entre 0,3 mm e 3 mm, e sua cor varia de amarelo a marrom. Existem dois tipos de acordo com o caso da reprodu√ß√£o:

  • Filoxera com reprodu√ß√£o assexuada (ou assimilada, por causa da partenog√™nese): os insetos n√£o possuem asas, n√£o ultrapassam 1,4 mm e vivem nas folhas ou nas ra√≠zes.
  • Filoxera com reprodu√ß√£o sexual: estes insetos n√£o se alimentam e mostram um forte dimorfismo sexual, j√° que os machos sem asas s√£o muito pequenos (0,5 mm no m√°ximo), enquanto as f√™meas podem medir at√© 3 mm e t√™m asas transparentes..

√Č a filoxera que se alimenta, ent√£o as formas partenogen√©ticas, que devem ser temidas. As filoxera gallicoles, que vivem nas folhas, sugam as folhas que t√™m como consequ√™ncia o desenvolvimento de galhas e folhas amarelas, mas sem matar o p√©. Por outro lado, aqueles que vivem de ra√≠zes, formas radic√≥licas, s√£o os piores desde que picam as ra√≠zes, resultando em feridas que se tornam infectadas a tal ponto que essas tuberosidades enfraquecem o p√© que eventualmente morre.

A reprodução da filoxera

A reprodu√ß√£o da filoxera √© muito particular e bastante complicada. O acasalamento do final do ver√£o entre macho e f√™mea d√° origem √† postura de um ovo de inverno que nasceu na primavera para dar vida a uma f√™mea sem asas. Esta larva descer√° at√© as ra√≠zes e ap√≥s 3 semanas (3 semanas), ser√° adulta e poder√° depositar no m√°ximo 100 ovos, todos f√™meas, por partenog√™nese que consiste em dividir um gameta feminino n√£o fertilizado. Este ciclo pode ser repetido ao longo de 5 a 6 gera√ß√Ķes.

Quando chega o verão, ocorre uma nova muda para todas essas fêmeas que se tornam ninfas e, finalmente, filoxera alada cujos ovos eclodirão machos e fêmeas que viverão apenas o tempo de acasalar para produzir o ovo de inverno. Um novo ciclo de reprodução anual começa.

filoxera gallicole que cresce nas folhas

Quanto √† reprodu√ß√£o da filoxera gallicole, a f√™mea coloca em m√©dia 600 ovos, os quais deixar√£o larvas que conhecer√£o 4 mudas antes de se tornarem adultas. Este ciclo pode ser repetido ao longo de v√°rias gera√ß√Ķes, mas permanecer√° nas folhas.

Filoxera hoje

A filoxera veio originalmente dos Estados Unidos e foi importada para a Europa, destruindo uma grande parte do vinhedo aut√īnomo. Tr√™s d√©cadas ser√£o adequadas para o inseto gra√ßas ao replantio de videiras de porta-enxertos de origem americana naturalmente resistentes √† praga. Esta t√©cnica tornou poss√≠vel salvar variedades de uvas francesas, cada uma com sua tipicidade e car√°ter.

Hoje, poucas uvas são enxertadas na França porque poucas foram poupadas pela filoxera no século XIX. São muitas vezes plantadas em solos arenosos, mais resistentes à filoxera, porque a estrutura e a fluidez da areia tendem a impedir que os insetos descessem até as raízes, porque ao menor movimento a areia se move. Não é preciso dizer que os vinhos produzidos nesses antigos vencedores e nas vinhas protegidas valem ouro!

Hoje em dia, a filoxera não deve mais ser temida pelos cicultores que todos têm enxertado vinhas. Mas a cautela é necessária porque a natureza sabe como acomodar o ataque da filoxera nos Estados Unidos (Califórnia) nos anos 90, que diz respeito a porta-enxertos não resistentes o suficiente...

(Foto de crédito 2: Anita Gould - CC BY-NC 2.0)

Vídeo: A Filoxera e o filme A Sorte do Vinicultor | Marcia Anholeti.

Compartilhe Com Seus Amigos